Lariano

Imerso nos bosques que cobrem o grupo montuoso do Artemisio, deve a sua fama ao ótimo pão de farinha escura e à frequentada Sagra dei funghi porcini (Feira dos cogumelos porcinos)

lariano

A aldeia situa-se debaixo do relevo montuoso chamado Maschio d'Ariano, aproximadamente 6 km ao nordeste de Velletri. É um município jovem mas a história do território no qual surge é antiga. De facto o Maschio d'Ariano, conhecido antigamente como Monte Algidus (Monte Algido), na época imperial alojava um posto avançado de defesa romana e sucessivamente um castelo fortificado. Além disso Horácio, no seu Carmen Seculare, afirma que neste monte antigamente encontrava-se um templo dedicado à deusa Diana.

Devido à invejável posição do território, ao longo dos séculos muitas famílias nobres disputaram-se Lariano. Foram os condes do Túsculo, os Annibaldi, os Savelli e sobretudo os Colonna quem marcaram a história do território.

No conclave que teve lugar em Viterbo em 1269, a Igreja reivindicou o domínio do território; em 1235 o Papa Gregório IX incluiu a Fortaleza de Lariano entre as Castelanias da Igreja.

Em 1268, depois da morte de Papa Clemente IV, Ricciardello Annibaldi apropiou-se do castelo; as milícias de Velletri, empurradas pelo Colégio de Cardinais, assaltaram-no em nome da Igreja, embora sem êxito.

De facto foram os Colonna quem se apoderaram do território, conservando-o até que o antipapa Clemente VII o entregou aos Orsini. Depois de amargas batalhas, a Fortaleza regressou nas mãos dos Colonna, embora em 1412 foram surpreendidos por Teobaldo Annibaldi, tornando-se o novo patrão de Lariano.

Em 1417 Oddone Colonna, nomeado Papa com o nome de Martinho V, devolveu o inteiro feudo à família, mas depois da sua morte (1431) o novo Papa Eugênio IV anulou os privilégios atribuídos pelo Pontífice anterior. Houve amargas batalhas entre a Igreja e os Colonna, que foram derrotados só pelas milícias de Velletri guiadas por Paolo Annibaldi della Molara; o Castelo foi incendiado e destruído e em 1436 houve a rendição final e o Papa Eugênio IV doou o território à cidade de Velletri em sinal de agradecimento pela ajuda recebida.

Desde então Lariano perdeu a sua independência, e foi freguesia da cidade de Velletri até 1967, ano no qual constituiu-se como município, conseguindo desde aquele momento um notável progresso demográfico e económico.

Uma grande parte do território de Lariano recai no Parque Regional de Castelli Romani e os bosques que o rodeam permitem, durante as estações propícias, interessantes excursões.